Conheça Granito

História

Granito - Pernambuco

A cidade de Granito originou-se da Fazenda Poço Dantas, localizada às margens do Rio Brígida, quando, em 1859, foi construída a capela tendo por nome Nossa Senhora do Bom Conselho, pelo padre José Modesto Pereira de Brito. A capela estimulou a povoação do lugar. Tal fato deu lugar a formação de um povoado que a merecer a categoria de freguesia. Granito, é elevado a categoria de vila na freguesia e termo de Exu, Comarca de cabrobo, de povoação foi elevada á categoria de villa pela lei nº 548 de 09 de abril de 1863, durante a presidência de Manoel Francisco Correia na Província de Pernambuco, que  lhe dera a honra de vila, transferindo a sede do termo Exu para Granito pelo fundador da capela, Criada a comarca, foi instalada em 1º de março de 1890, pelo Sr. Juiz de direito, Alfredo Afonso Pereira. A denominação primitiva do povoado de Granito foi motivada pela predominância da rocha granito no solo. Constituiu-se município autônomo em 05 de junho de 1893, promoção administrativa, lei provincial nº 548 de abril de 1863, transferiu-se a sede do município de Exu para o povoado de Granito. Segundo a divisão administrativa em 1911, formou-se de dois distritos, Granito e Bodocó. Por efeito da lei estadual nº 1650 de 22 de maio de 1924 Bodocó passou ser sede do município de Granito. No ano de 1940, foi instala nesta localidade uma usina de caroá, em 1951 foi construído o 1º grupo escolar e uma agência dos correios, em 1955, foi construído um açougue público. Granito foi cidade pela primeira vez através da lei nº 991 de 1º de junho de 1909. Teve como primeiro chefe político o Sr. Eráclio Peixoto, logo em seguida o Coronel João Silvério de Alencar. Nesta época Granito já contava com um quartel comandado pelo Coronel Luna e era composto de um oficial de polícia, um primeiro tenente e um segundo tenente com seu batalhão formado de 40 soldados e dois cabos. A prisão era descente, e as armas eram fuzis, bacamartes parabelas e rifles. Só quem andava armado eram os coronéis, a farda dos soldados era cor de cáqui. Também existia nesta época uma banda de música pública a qual era comandada pelo Sr. Angelim, um cartório cujo dono foi João Cezário Aguiar, uma coletoria que atendia a população de Granito, Bodocó, Exu e parte de Parnamirim. Em 1942 na administração do prefeito Manoel Antônio Luna, 3º prefeito da cidade, o município perdeu sua sede ficando sujeito a Bodocó. Permanecendo como distrito de Bodocó até o ano 1963, data em que por força da lei estadual nº 4972 de 20 de dezembro de 1963, Granito foi elevado novamente à categoria de cidade. Administrativamente, o município é composto pelo distrito sede e pelos povoados de Rancharia e Lagoa Nova.

Gentílico: granitense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Granito, por lei provincial nº 608, de 03-04-1864. Elevado à categoria de vila com a denominação de Granito, pela lei provincial nº 548, de 09-04-1863. Instalada em 27-07-1863. Elevado à condição de cidade e sede municipal com a denominação de Granito, pela lei estadual nº 991, de 01-07-1909. Pela lei municipal nº 3, de 17-11-1909, é criado o distrito de Bodocó e anexado ao município de Granito. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 2 distritos: Granito e Bodocó. Pela lei municipal nº 2, de 06-01-1920, é criado o distrito Rancharia e anexado ao município de Granito. Pela lei municipal nº 19, de 05-01-1920, é criado o distrito de Caririzinho e anexado ao município de Granito.Pela lei estadual nº 1650, de 22-05-1924, transfere a sede do município de Granito para vila de Bodocó, conservando a denominação de Granito. Pelo decreto estadual nº 314, de 27-06-1924, foi extinto o distrito de Leopoldina, sendo seu território distribuído pelos municípios de Granito, Salgueiro e Serrinha. Pela lei municipal de 16-01-1929, é criado o distrito de Sipaúba e anexado ao município de Granito. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 4 distritos: Granito, Bodocó (sede), Brejo de Santo Antônio (ex-Sipaúba) e Leopoldina. Não figurando os distritos de Caririzinhoe Rancharia. Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 4 distritos: Granito, Bodocó (sede), Brejo de Santo Antônio, Leopoldina e Poço Cercado. Pelo decreto-lei estadual nº 92, de 31-03-1938, o município tem a denominação de Bodocó. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, Granito figura como distrito do município de Bodocó. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960. Elevado novamente à categoria de município com a denominação de Granito, pela lei estadual nº 4972, de 20-12-1963, desmembrado de Bodocó. Sede no antigo distrito de Granito. Constituído do distrito sede. Instalado em 25-04-1964. Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007. Transferências de sede Pela lei estadual nº 1650, de 22-05-1924, transfere a sede do município Granito para o de Bodocó, conservando a denominação de Granito. Pelo decreto-lei estadual nº 92, de 31-03-1938, a sede volta a denominar-se Bodocó.

Granito é um município brasileiro do estado de Pernambuco. O município é composto pelo Distrito sede e pelos povoados de Rancharia, Lagoa Nova, Matogrosso e Vila Bela Vista.

 

Em 1909 já no período republicano em que várias vilas ganham o status de cidade pela nova organização administrativa, mesmo Granito tendo perdido o território da vila de Exu e Leopoldina, mas ainda contando com as porções de terras onde hoje localiza-se Bodocó, Moreilândia e Caririmirim.

Prefeitos de Granito durante a República velha, República dos Coronéis e como foram constituídos os Conselhos de Intendência Municipais em Granito:

CHILON HERÁCLIO PEIXOTO E SILVA – 1909, Prefeito Municipal de Granito, Sub-Prefeito: Óctaviano Francisco José Peixoto.

Conselho da Intendência Municipal de Granito:

Presidente do ConselhoTenente Coronel Manoel Antonio de Luna.

Vice Presidente do ConselhoVerissimo Peixoto de Luna.

Conselheiros:

Capitão João Silvério de Alencar.

Pedro Ferreira da Costa Modesto

Raymundo Cassiano da Cruz.

SecretárioManoel Francisco de Souza Leão

TesoureiroDario José Peixoto de Alencar e Silva

Agentes Fiscais: Tenente Coronel Galter Peixoto de Alencar e José Joaquim de Oliveira.

PorteiroNicolauTolentino da Silva

 

ÓCTAVIANO FRANCISCO JOSÉ PEIXOTO – 1910, Prefeito do Municipio de Granito. Sub- Prefeito:

Conselho da Intendência Municipal de Granito:

Presidente do ConselhoTenente Coronel Manoel Antonio de Luna.

Vice Presidente do ConselhoVerissimo Peixoto de Luna.

Conselheiros:

Capitão João Silvério de Alencar.

Pedro Ferreira da Costa Modesto

Raymundo Cassiano da Cruz.

SecretárioJoão Cesário Leão

TesoureiroDario José Peixoto de Alencar e Silva

Agentes Fiscais: Tenente Coronel Galter Peixoto de Alencar e José Joaquim de Oliveira.

PorteiroNicolauTolentino da Silva

JOÃO PEIXOTO DA SILVA – 1915, Prefeito do Município de Granito.

Sub-Prefeito: Verissimo Peixoto de Lima.

Conselho da Intendência Municipal.

Presidente do ConselhoCapitão João Silvério de Alencar.

Vice Presidente do ConselhoAlexandre Sabino José Peixoto.

Conselheiros: Aureliano Peixoto da Silva

José Gregório de Souza.

Martinho Severiano de Alencar.

Virgolino Alves de Sucena.

Pedro Ferreira Costa Modesto

Raymundo Cassiano da Cruz.

SecretarioJoão Cesário Leão.

Tesoureiro: Dario José Peixoto de Alencar e Silva

Agentes FiscaisJosé Sabino da Silva Peixoto

Manoel Joaquim de Oliveira

PorteiroNicolau Tolentino da Silva

 

JOÃO SILVÉRIO DE ALENCAR – 1917, 1921, Prefeito do Município de Granito

Sub- Prefeito: Manoel Antonio de Lima

Conselho da Intendência Municipal

PresidenteJoão Silvério de Alencar Sobrinho.

Vice PresidenteSimão Geraldo de Carvalho

Secretário: Cornélio Carlos de Alencar

Conselheiros: Alexandre Sabino

Gualter Peixoto de Alencar

João Pontes Simões

Joaquim de Salles Coutinho

Manoel Ferreira Lima

Manoel Ignácio de Souza

Pedro Ferreira Costa Modesto

Procurador: Antonio Dias Parente.

Tesoureiro: João Gregório de Souza

AdvogadoJoaquim Florentino de Alencar

Fiscal e PorteiroNicolau Tolentino da Silva

 

CORONEL MANOEL ANTONIO DE LIMA - 1926, Prefeito do Município de Granito.

Sub-PrefeitoSabino Alexandre Peixoto.

 

Nos anos 60 anunciava um novo tempo para o povo Granitense. Antes de ser deposto pelo golpe militar de 1964, o então Governador de Pernambuco, Miguel Arraes de Alencar, através de decreto assina a liberdade política e administrativa de Granito no dia 20 de Dezembro de 1963. Granito torna-se cidade outra vez, sendo nomeado Prefeito o Sr. Manoel Porfírio (1964-65), com a missão de marcar as eleições municipais.

Sr. Aderson Coelho da Silva (1965-69), primeiro prefeito eleito pelo povo da nova era emancipativa de Granito.

FRANCISCO GIVALDO DE ALENCAR SAMPAIO 1970-1972;

ONOFRE EUFRÁSIO DE LUNA  1973-1976;

ESMERINDO ALVINO DA SILVA 1977-1982;

MANOEL CORDEIRO LACERDA 1983-1988;

ERNANDES ALVINO LACERDA  1988-1992;

JOÃO BOSCO LACERDA  DE ALENCAR 1993-1996;

ANTONIO VALDIR GONÇALVES  1997-2000;

JOÃO BOSCO LACERDA  DE ALENCAR 2001-2004;

JOÃO BOSCO LACERDA  DE ALENCAR 2005-2008;

RONALDO ALENCAR SAMPAIO 2009-2012;

ANTONIO CARLOS PEREIRA 2013-2016;

JOÃO BOSCO LACERDA  DE ALENCAR 2017-2020;

JOÃO BOSCO LACERDA  DE ALENCAR 2021-2024;

 

GEOGRAFIA

Localiza-se a uma latitude 07º42`58" sul e a uma longitude 39º36`53" oeste, estando a uma altitude de 447 metros. Sua população estimada em 2004 era de 6.194 habitantes.
Possui uma área de 521,86 km².

RELEVO

O município de Granito encontra-se inserido na unidade geo ambiental dos Maciços e Serras Baixas. Ao sul, parte do território está inserido na unidade geo ambiental Depressão Sertaneja.

VEGETAÇÃO

A vegetação é predominantemente de Floresta Caducifólia e Caatinga Hipoxerófila.

HIDROGRAFIA

O município de Granito situa-se nos domínios da Bacia Hidrográfica do Rio Brígida. Seus principais tributários são os riachos do Alecrim, São Joaquim, da Ingazeira, do Mororó, do Negro, da Brígida, do Poço Verde, do Logradouro, da Varginha do Capim, da Selada, do Mocambo e da Colina, todos de regime intermitente.O município conta ainda com as lagoas: Pajeú, do Umari, de Dentro, do Tigre, Nova, da Cruz, das Barracas, da Pedra e das Braúnas.